Corretivos Orgânicos
Corretivos Orgânicos

As empresas do Universo EGF produzem corretivos orgânicos nas suas unidades, a partir do tratamento e compostagem da fração orgânica de resíduos urbanos ou de resíduos verdes.

 

A utilização dos corretivos orgânicos EGF é altamente vantajosa nos principais sistemas agroflorestais, nomeadamente em culturas agrícolas, arbóreas e arbustivas, nomeadamente vinhas, pomares, olivais e espécies silvícolas.

 

Os corretivos orgânicos são produtos naturais, sem aditivos químicos que promovem um efeito positivo no crescimento e produtividade das culturas, incrementando as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo, como a retenção da água, o arejamento e o aumento e diversificação da atividade microbiológica do solo

 

No conceito de economia circular os resíduos orgânicos são na sua totalidade utilizados como recursos para produção de corretivos orgânicos do solo, elementos fertilizantes, substratos de cultura e germinação e desenvolvimento de outros produtos inovadores.

 

A reutilização destes resíduos orgânicos permitirá a substituição da utilização de fertilizantes minerais produzidos com recurso a hidrocarbonetos, a substituição parcial ou total de utilização de turfas e rochas minerais ricas em fosfatos.

 

Agrovida
Agrovida é um corretivo agrícola orgânico produzido a partir da valorização dos resíduos orgânicos biodegradáveis. Após a digestão, os resíduos biodegradáveis são encaminhados para um processo de compostagem e maturação, resultando num composto orgânico corretor de solos. Ao potenciar o enriquecimento dos solos com substrato orgânico, estamos a contribuir para um solo saudável, prolongando o equilíbrio natural do mesmo. Destina-se a aplicações em jardins pomares e vinha.
Amarterra
Amarterra é um corretivo agrícola, produzido pela Amarsul a partir dos resíduos orgânicos provenientes da recolha indiferenciada efetuada pelas viaturas municipais e é rico em matéria orgânica humificada. A aplicação do composto Amarterra permite repor o equilíbrio dinâmico dos solos, fomentando a diversidade biótica, reforçando o arejamento e a capacidade de retenção de água.
Biocresce
O composto produzido na Unidade de Aveiro tem a designação comercial de Biocresce. Os níveis de matéria orgânica que apresentam conferem a estes fertilizantes a classificação de corretivos agrícolas orgânicos. Encontram-se higienizados e não contêm sementes ou propágulos de plantas infestantes, para além de estarem maturados, pelo que as aplicações destes fertilizantes podem realizar-se num prazo inferior a três semanas, antes da sementeira ou plantação.
Fertisuc
O composto produzido na Unidade de Coimbra é o Fertisuc. Os níveis de matéria orgânica que apresentam conferem a estes fertilizantes a classificação de corretivos agrícolas orgânicos. Encontram-se higienizados e não contêm sementes ou propágulos de plantas infestantes, para além de estarem maturados, pelo que as aplicações destes fertilizantes podem realizar-se num prazo inferior a três semanas, antes da sementeira ou plantação.
Nutriterra
Este composto resulta do sistema de tratamento dos resíduos indiferenciados entregues na Central de Valorização Orgânica. A fração orgânica é valorizada num processo de digestão anaeróbia, permitindo a obtenção de energia elétrica e os resíduos provenientes do digestor são posteriormente transformados e ganham nova vida através de um processo de compostagem que pode ser utilizado em terrenos agrícolas.
Nutriverde
É produzido a partir de resíduos verdes, está certificado como fator de produção em agricultura biológica, podendo ser utilizado como fertilizante na agricultura e na jardinagem e/ou como substrato na produção de plantas. Para além de não ser agressivo e poluente para a natureza, traz inúmeros benefícios ao solo, pois combate a erosão e melhora as suas propriedades físicas, químicas e biológicas.
Ricaterra
Ricaterra é um corretivo agrícola orgânico utilizável em culturas ou em jardins, obtido a partir do tratamento dos resíduos orgânicos recolhidos seletivamente. Resulta do tratamento por digestão anaeróbia e posterior compostagem da fração orgânica de resíduos urbanos entregues na Estação de Valorização Orgânica.