A EGF desenvolveu um projeto piloto em 2018 que permitiu testar se a atruibuição de benefícios económicos ao cidadão o faziam separar com regularidade as suas embalagens usadas. Para o efeito foi criada  uma rede nacional de “ecopontos especiais” com benefícios económicos para os Portugueses, apresentada a 2 de agosto e que contou com a participação do Secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins. A campanha Reciclar Vale Mais decorreu de norte a sul do país, durante 2 meses em 15 lojas do Pingo Doce. Ao entregar as embalagens usadas no Ecoponto, em sacos de 30 ou de 50 litros, a EGF ofereceu 0,10€ ou 0,15€ em cartão Poupa Mais, para utilização imediata. 

 

Esta iniciativa pioneira em Portugal decorre no âmbito do programa nacional de inovação social da EGF, em que sete das suas concessionárias (Amarsul, Ersuc, Resinorte, Resulima, Suldouro, Valorlis, Valorminho) estão a desenvolver esta ação com o cofinanciamento do POSEUR – Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

 

A campanha Reciclar Vale Mais pretendeu sensibilizar a população para a separação de resíduos e, em simultâneo, alertar para o benefício imediato de colocar as embalagens usadas no ecoponto, demonstrando que a reciclagem tem valor ao devolver ao cidadão uma parte para poder descontar nas suas compras em lojas Pingo Doce. Desta forma, também se procura garantir que as metas nacionais são alcançadas e que as embalagens usadas são entregues nas empresas responsáveis pela sua gestão e tratamento.

 

Esta campanha piloto esteve presente em 15 lojas do Pingo Doce ao longo do país, que apoiou esta iniciativa cedendo espaço nos parques de estacionamento dos seus estabelecimentos. Durante dois meses foi oferecido dinheiro em cartão Poupa Mais em troca de embalagens usadas entregues num destes pontos de recolha. A campanha esteve disponível nas lojas de Quinta do Conde, Barreiro e Alcochete, Porto de Mós, Batalha, Águeda, Aveiro, Vila Nova de Gaia (Coimbrões), Santa Maria da Feira, Fafe, Vizela, Arcos de Valdevez, Viana do Castelo (Portuzelo), Monção (Gandra) e Vila Nova de Cerveira (Lugar de Faias).

 

O projeto encontra-se em fase de avaliação e decisão sobre a forma de lhe dar continuidade.