NOTÍCIAS
26 DE JANEIRO, 2023

Reciclagem cresceu 6% em 2022

Aumentou a reciclagem, diminuiu a produção de resíduos

 

A EGF, empresa responsável pelo tratamento e valorização de resíduos urbanos em 174 municípios de Portugal e de 60% da população portuguesa, registou em 2022 um aumento na recolha seletiva de embalagens (de plástico, metal, cartão e vidro) de 6% face a 2021, num ano em que também se registou um decréscimo da produção total de resíduos em 1%.

A receção com origem na recolha seletiva de embalagens (de plástico, metal, cartão e vidro) foi de 377 mil toneladas, apresentando um crescimento de 6% face ao ano 2021 (em valor absoluto, aproximadamente de 33 mil toneladas). A receção total de resíduos urbanos nas regiões servidas pelas concessionárias da EGF, teve um decréscimo de 1% face ao mesmo período do ano 2021 (em valor absoluto, aproximadamente menos 38 mil toneladas).

 

A maior participação por parte dos cidadãos e o investimento consistente em viaturas, contentores, instalações e educação ambiental, tem permitido à EGF e às suas 11 concessionárias aumentarem a quantidade de material enviado para reciclar.

 

Separação de biorresíduos aumenta

Os restos alimentares e os resíduos de podas e jardins já representam 13% de todas as recolhas seletivas, tendo tendência a aumentar, à medida que os municípios avançam para estas recolhas seletivas. Estes biorresíduos são transformados em corretivos orgânicos, um fertilizante 100% natural utilizado na agricultura. Em 2022 foram produzidas 29.000 toneladas deste produto tão necessário aos solos nacionais, que permite a reter o carbono nos solos e aumentar a retenção da água das chuvas, ajudando a prevenir as alterações climáticas.

 

Resíduos geram eletricidade para abastecer 110 mil famílias

Através de diversas tecnologias, as concessionárias EGF produzem eletricidade a partir dos resíduos comuns e dos resíduos biodegradáveis. Em 2022, foram exportados para a rede 406 GWh, o equivalente aos consumos domésticos de 110 mil famílias portuguesas.

 

Sobre a EGF

A EGF é uma empresa europeia de referência no setor ambiental e líder no tratamento e valorização de resíduos em Portugal. Integrada no Grupo MOTA-ENGIL/URBASER, é responsável por assegurar o tratamento e valorização de resíduos, da forma ambientalmente mais correta e economicamente sustentável, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do ambiente.

A gestão dos sistemas de tratamento e valorização de resíduos é feita através de 11 empresas concessionárias (Algar, Amarsul, Ersuc, Resiestrela, Resinorte, Resulima, Suldouro, Valorlis, Valorminho, Valnor, Valorsul), constituídas em parceria com os municípios servidos, que processam anualmente cerca de 3,3 milhões de toneladas de resíduos urbanos (RU), servindo uma população de 6,2 milhões de pessoas distribuídas por 174 municípios, numa área equivalente a 60% do território em Portugal.

 

Informações: Ana Loureiro |Telemóvel: 968601711 | E-mail: ana.loureiro@egf.pt

25 DE JANEIRO, 2023

A Fundação do Futebol – Liga Portugal e a EGF, na qualidade de parceiro oficial da sustentabilidade no âmbito da gestão de resíduos das competições profissionais, transformaram a Final Four da Allianz CUP num EcoEvento, tornando a reciclagem numa prioridade para todos.

Entre 21 e 28 de janeiro haverá um reforço da Contentorização, tanto no Estádio Municipal de Leiria como na Fan Zone, localizada no centro da cidade, assim como nas áreas de trabalho, com o objetivo de promover boas práticas ambientais e a reciclagem.

Durante toda a semana, na Fan Zone, estarão presentes Mochileiros que terão a missão de sensibilizar os visitantes do recinto para as boas práticas da sustentabilidade ambiental. Sem esquecer a imagem de marca da campanha Sustentabilidade em Campo: os contentores de reciclagem junto aos bancos de suplentes vão marcar presença no Municipal de Leiria.

Como reforço da campanha de promoção e consciencialização para a reciclagem, o jogo da EGF que incentiva e premeia as boas práticas ambientais, disponível na aplicação Recycle Bingo, terá uma missão especial e exclusiva para todos os utilizadores ao longo desta semana competitiva.   

Esta iniciativa decorre no âmbito do protocolo de cooperação para a Sustentabilidade entre a EGF e a Fundação do Futebol, que prevê a organização e promoção conjunta de eventos e iniciativas relacionados com as respetivas áreas de atuação. Inicialmente, a EGF tinha colocado 72 contentores para a separação seletiva junto ao banco destinado às equipas técnicas.

 

Sobre a Fundação do Futebol – Liga Portugal

 

A Fundação do Futebol – Liga Portugal assume a missão de ser um elo entre os Clubes do Futebol Profissional e a Responsabilidade Social, trabalhando por uma sociedade mais comprometida com a inclusão e a equidade.

 

Nesse sentido, e com a consciência que o Futebol e a Responsabilidade Social devem caminhar na mesma direção e lado a lado, a Fundação do Futebol tomou para si a responsabilidade de utilizar a notoriedade do futebol, e dos seus intervenientes, em prol da Sustentabilidade por um Futebol mais Positivo, Tolerante e Agregador.

 

Sobre a EGF

 

A EGF é uma empresa europeia de referência no setor ambiental e líder no tratamento e valorização de resíduos em Portugal. Integrada no Grupo MOTA-ENGIL/URBASER, é responsável por assegurar o tratamento e valorização de resíduos, da forma ambientalmente mais correta e economicamente sustentável, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do ambiente.

A gestão dos sistemas de tratamento e valorização de resíduos é feita através de 11 empresas concessionárias (Algar, Amarsul, Ersuc, Resiestrela, Resinorte, Resulima, Suldouro, Valorlis, Valorminho, Valnor, Valorsul), constituídas em parceria com os municípios servidos, que processam anualmente cerca de 3,3 milhões de toneladas de resíduos urbanos (RU), servindo uma população de 6,2 milhões de pessoas distribuídas por 174 municípios, numa área equivalente a 60% do território em Portugal.

Mais informação em https://www.egf.pt/

 

Informações: Ana Loureiro |Telemóvel: 968601711 | E-mail: ana.loureiro@egf.pt

20 DE DEZEMBRO, 2022

A Amarsul faz nova aposta no tratamento e valorização orgânica, ao avançar com a construção de uma nova unidade de tratamento biológico no Ecoparque de Palmela, um investimento significativo na região com o propósito de alcançar as metas estabelecidas no tratamento de biorresíduos, oferecendo uma alternativa válida à deposição de resíduos em aterro, e melhorar, assim, o serviço prestado à população da Península de Setúbal.

 

Com um investimento da ordem dos 18 milhões de euros, a nova infraestrutura, com 26 500 m2, encontra-se já em fase avançada de construção. Terá uma capacidade para receber 50 mil toneladas de resíduos orgânicos por ano, oriundos da recolha seletiva dos Municípios, com uma produção estimada de 8.500 toneladas de composto também ao ano, para utilização como corretivo orgânico de terrenos agrícolas.

 

A sua construção obedece aos mais rigorosos requisitos e certificações, tanto no sistema de impermeabilização, arejamento, como na drenagem e encaminhamento de lixiviados, estando a ser utilizado equipamento, material e tecnologia de ponta, assegurando os padrões ambientais cada vez mais exigentes bem como a utilização das melhores tecnologias disponíveis.

 

No âmbito deste investimento, também a unidade de Tratamento Mecânico, onde são depositados os resíduos indiferenciados, será alvo de uma requalificação, por forma a melhorar o processo de pré-tratamento, processamento e separação da matéria orgânica dos demais resíduos, para posterior encaminhamento para a nova unidade.

 

Estima-se que a nova unidade de Tratamento Biológico entre em funcionamento em meados do próximo ano 2023.

 

+Info: Susana Silva| Telemóvel: 961 021 722 | E-mail: comunicacao@amarsul.pt

 

Sobre a Amarsul

A Amarsul é responsável pelo tratamento e valorização dos resíduos urbanos dos 9 municípios da Península de Setúbal: Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal.

 

Em 2021, a Amarsul tratou 464 mil toneladas de resíduos tendo valorizado 45 mil toneladas de recicláveis, em 10 instalações. A empresa conta com a colaboração de cerca de 400 trabalhadores, que servem diariamente os 800 mil habitantes da península. 

 

A Amarsul procede também à valorização energética dos resíduos, a partir da extração do biogás, produzindo anualmente cerca de 17 GWh de energia elétrica, a qual é injetada na Rede Elétrica Nacional. Produziu ainda, 9 mil toneladas de corretivos orgânicos que foram aplicados em culturas arbóreas e arbustivas, nomeadamente pomares, olivais, vinhas e espécies silvícolas. Estes corretivos de solos são obtidos através da valorização orgânica dos bioresíduos recebidos, quer os provenientes da recolha indiferenciada quer da recolha seletiva, em condições rigorosamente controladas.

6,2
HABITANTES
MILHÕES
174
MUNICÍPIOS
169
INSTALAÇÕES
3,3
RESÍDUOS TRATADOS E VALORIZADOS
MILHÕES TONELADAS
361
RESÍDUOS RECICLADOS
MIL TONELADAS
24,8
CORRETIVOS ORGÂNICOS PRODUZIDOS
MIL TONELADAS
507
ENERGIA PRODUZIDA
GWH/ANO
RECYCLE BINGO O JOGO QUE DÁ PRÉMIOS A QUEM RECICLA
Ecopontos e Ecocentros Reciclar Sempre, Tudo e em Todo o Lado
6,2 Milhões
Habitantes abrangidos